SEJAM BEM VINDOS AO MEU BLOG!!!



" Daqui a cem anos, não importará o tipo de carro que dirigi, o tipo de casa em que morei, quanto tinha depsitado no banco, nem que roupas vesti. Mas o mundo pode ser um pouco melhor porque eu fui importante na vida de uma criança. "

Clique aqui e veja o que encontar no blog:
*Projetos Pedagógicos *Sugestões de Atividades *CDs Atividades *Leitura para Professores *Dicas para Pais e Educadores *Vídeos e muitas novidades!Espero que vocês possam gostar! Seja nosso Seguidor!

30 de ago de 2010

Poesia do Saci

Origami Boitatá

                                              Uma gracinha!!!!  



 Imagina que susto: alguém está tranquilo no seu banquinho, pescando no rio, à noite, e de repente surge, do fundo das águas, uma enorme cobra de fogo, com dois grandes chifres, como se fosse um boi. Em algumas regiões, para piorar mais as coisas, o bicho tem um olho só, bem no meio da testa...

É o Boitatá. Um mito brasileiro contado e temido em todos as regiões do País onde haja um rio ou uma lagoa qualquer. Só mesmo um mito com seus poderes incríveis, pode ter o corpo de fogo e morar na água, não é mesmo.

O Boitatá também é visto, às vezes, apenas como um facho cintilante de fogo correndo de um lado para o outro na mata. Em alguns lugares, ele se transforma em troncos incandescentes, abandonados na beira do rio.

O Boitatá é um mito de origem indígena. Os índios o chamavam Mbaê - Tatá, que quer dizer coisa de fogo. 

E veja que interessante:uma das características do Boitatá, apesar de todo o fogo que carrega no corpo, é proteger as matas contra incêndios...


Origami da Iara




Também conhecida como a "mãe das águas", Iara é uma personagem do folclore brasileiro. De acordo com a lenda, de origem indígena, Iara é uma sereia ( corpo de mulher da cintura para cima e de peixe da cintura para baixo ), morena de cabelos negros e olhos castanhos.

A lenda conta que a linda sereia fica nos rios do norte do país, onde costuma viver. Nas pedras das encostas, costuma atrair os homens com seu belo e irresistível canto. As vítimas costumam seguir Iara até o fundo dos rios, local onde nunca mais voltam.
Os poucos que conseguem voltar acabam ficando loucos em função dos encantamentos da sereia. Neste caso, conta a lenda, somente um ritual realizado por um pajé (chefe religioso indígena, curandeiro pode livrar o homem do feitiço ).

                      ORIGEM DA PERSONAGEM

Contam os índios da região amazônica que Iara era uma excelente índia guerreira. Os irmãos tinham ciúmes dela, pois o pai a elogiava muito. Certo dia, os irmãos resolveram  matar Iara. Porém, ela ouviu o plano e resolveu matar os irmãos, como forma de defesa. Após ter feito isso, Iara fugiu para as matas. Porém, o pai perseguiu e conseguiu capturá-la. Como punição, Iara foi jogado no rio Solimões ( região amazônica ). Os peixes que ali estavam a salvaram e, como era noite de lua cheia, ela foi transformada numa linda sereia.

29 de ago de 2010

Origami do Saci






O Saci - Pererê têm sua origem em Portugal.
É um moleque negrinho, de olhos vermelhos, com uma perna só.

Vive pelado e não se separa do seu cachimbo. Usa na cabeça uma carapuça vermelha, na qual está depositado todo o seu poder sobrenatural.

O Saci aparece e desaparece no meio de um redemoinho. Na mata, quando se escuta um assobio longo, já se sabe: ele está por perto.

Gosta de montar a cavalo e galopar. É um moleque engraçado e divertido, que adora fazer estripulias. Apaga fogo de fogão, derrama alimentos, dá nós nas crinas dos cavalos, revira os ninhos, embaraça os novelos de linha, quebra a ponta das agulhas, e faz um tanto de outras pequenas  maldades.

O Saci não atravessa córregos nem riachos. Persegue as pessoas e só interrompe a ´perseguição para desfazer os nós em cordas e tecidos, atirados no caminho pelo perseguido.

Agora uma dica para você: o Saci não incomoda quem usa um saquinho de pano no pescoço, com dentes de alho descascados....

28 de ago de 2010

Bumba - meu -Boi



A mais brasileira de todas as festas, o Bumba- meu- Boi ( também conhecido como Boi - Bumbá, entre outros nomes, conforme a localidade da festa ) é uma dramatização que reúne características indígenas, negras e portuguesas.

Representado do Maranhão a Santa Catarina, o auto tem origem nos engenhos do Nordeste.

O boi, personagem principal da encenação, montado com uma armação de ferro recoberta por bordados e penduricalhos coloridos, lembra as tourinhas portuguesas, falsas touradas em que bois enfeitados davam chifradas em vaqueiros fictícios. A história do Amo, que acaba matando o animal  - ressuscitado no final - porque sua companheira grávida tinha desejos de comer carne, é uma alusão as festas de ressurreição animal, comuns entre os índios brasileiros.

Da cultura negra, o Bumba-meu-Boi carrega o nome ( bumba é um termo congolês que quer dizer pancada e se refere à chifrada do animal ), o ritmo da música e os personagens escravos que representam os vaqueiros. É no meio da Floresta Amazônica que acontece uma das principais festas do Boi-Bumbá. Em parintins (AM), a manifestação ganhou, há 90 anos, uma versão quase integralmente indígena e que atualmente possui o porte dos desfiles do Carnaval Carioca.

                                   SUGESTÃO DE ATIVIDADE

     Esta marvilha, eu tirei do Blog da Jacirinha...










            Este Bumba-meu-boi foi confeccionado com rolinho de papel e papéis coloridos.

            Visitem o blog dela : Oficina de Criatividade : http://jacirinha.blogspot.com/
             Lá vocês encontrarão coisinhas lindas!!!!!

Origami do Curupira

O que é Folclore?

Cada povo tem um jeito uito especial de copreender o que acontece à sua volta.

Para explicar fenômenos naturais, forças desconhecidas, ou para contar passagens importantes da nossa história, as pessoas comuns de todas as raças e religiões criam mitos, lendas, danças, músicas, hábitos e tradições.

O saber popular é aquele que atravessa o tempo pela comunicação oral das gerações, sendo recontado, falado, declamado ou cantado.

Boto, Cuca, Curupira, Saci-Pererê, Lobisomem, Mula-Sem-Cabeça existem na fantasia e imaginação de milhares de pessoas e fazem parte, de alguma maneira, da nossa memória.

Folclore, portanto, é o conjunto das tradições, conhecimentos, crenças populares, lendas, músicas, danças, adivinhações, provérbios, superstições, brinquedos, jogos, poesias, artesanatos, cantos, enfim, tudo o que faz parte da cultura e memória de um povo.

Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore em 1951, "constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular,ou pela imitação."

O folclore é o modo que um povo tem para compreender o mundo em que vive. Conhecendo o folclore de um País, podemos compreender o seu povo. E assim conhecemos, ao mesmo tempo, parte de sua história. Mas para que um certo costume seja realmente considerado folclore, dizem os estudiosos que é preciso que este seja praticado por um grande número de pessoas e que também tenham origem anônima.

Qual a origem da palavra "FOLCLORE"?

A palavra surgiu a partir de dois vocábulos saxônicos antigos. "Folk", em inglês, significa "povo". E "lore", conhecimento.

Assim, folk + lore ( folklore ) quer dizer " conhecimento popular". O tema foi criado por William JohnThomes, (1803-1885), um pesquisador da cultura européia que em 22 de agosto de 1846 publicou um artigo intitulado "Folk-lore". Esta data foi consagrada como o Dia Mundial do Folclore.

No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se " folclore".

Qual a origem do folclore brasileiro?

O folclore brasileiro, um dos mais ricos do mundo, formou-se ao longo dos anos principalmente por índios, brancos e negros.

7 de ago de 2010

Diploma para o PAPAI





Ser PAI

DIA DOS PAIS

                        
                        
                         TUDO PASSA!
                                              Pedro Bandeira

Meu PAI é um cara engraçado
diz que me põe de castigo
se eu não fizer a lição.
Só que quando eu não faço
ele vem com decisão
e com ar sério que ele tem
e diz: "desta vez passa,
mas da próxima vez, hein..."

Se eu levo um tombo e choro,
ele me pega no colo,
me embola e fica dizendo:
chore não...isso passa...

Quando eu vou dormir
e tenho medo do escuro
ele me conta uma história
diz para eu fechar os olhos
que o medo passa.

Ai, eu gosto tanto dele!
E isso não passa.



Aqui postei algumas sugestões de lembrancinhas que encontrei pela net e outras elaboradas por mim.





                   Blusa estampada com a foto do(a) filho(a), caneta com foto ou bloquinho e caneta para o PAPAI.


 
                          Chinelos silkados para o PAPAI....Ele vai adorar!!!!!




          
TRABALHIHOS PARA A SEMANA DO PAPAI

                       


Entrevista e mensagem
Diploma e cartão para o PAPAI





6 de ago de 2010

Colorir: Qual sua importância?



Colorir desenhos é uma atividade tão natural para as crianças como dormir e chorar. muito mais do que formas aleatórias, colorações monocromáticas ou rabiscos quase ilegíveis, o ato de colorir é extremamente importante nos artistas de palmo e meio, incentivando o desenvolvimento de várias e essenciais capacidades.


      EXPRESSÃO CORPORAL

Desenhar e colorir são formas de expressão pessoal por excelência das crianças, que nem sempre conseguem exprimir-se adequadamente através da fala ou da escrita.
Vários estudos já compprovaram que é bastante fácil perceber o que alguém está sentindo através das imagens que desenha ou das cores que utiliza para colorir. Por exemplo, uma criança que desenha facas, pistolas, caveiras ou outros objetos pertubantes pode  estar pedindo ajuda. Por outro lado, uma criança que desenha o sol, passarinhos, corações ou outros objetos alegres, pode estar expressando o seu contentamento. É um exercício excelente para desenvolver personalidades e deixar a criatividade fluir!

            IDENTFICAÇÃO DAS CORES

A maioria das crianças tem a sua primeira ( e muitas vezes única ) exposição à roda das cores e ao conceito de arte, graças às brincadeiras infantis com lápis de cor, de cera e marcadores. Aprender a distinguir as diferentes cores bem cedo é meio caminho andado para perceber as suas várias e corretas aplicações, bem como possíveis misturas entre cores primárias e secundárias, mais tarde.

              UMA FORMA DE TERAPIA

O simples ato de colorir pode ser terapêutico para muitas crianças e é uma atividade utlizada em muitos hospitais, centros de aprendizagem e instituições para possibilitar o "descarregar" de emoções, sentimentos e frustrações. Uma criança zangada pode perfeitamente pintar o seu desenho de uma árvore toda preta, a tal ponto que a própria figura deixe de ser visível. De outra perspectiva, uma criança organizada, que gosta das coisas à sua maneira, pode colorir o seu desenho meticulosamente, sem ultrapassar qualquer linha do mesmo. Independentemente da forma como vai colorir ou desnhar, esta é uma forma de acalmar as crianças.

      APRENDER A SEGURAR E A CONTROLAR

Um lápis de cera é, para muitas crianças, o primeiro objeto que aprendem a segurar para poderem controlar. Dominar um lápis de cera é a rampa de lançamento para conseguirem dominar as restantes ferramentas de colorir - lápis de cor, marcadores, pincéis - e, mais tarde, os de escrita - caneta e lápis. Quanto melhor desenvolvidas estiverem  as suas capacidades de segurar e de controlar um lápis de cera, mais facilitada será a sua aprendizagem mais tarde, quando começarem a escrever.

        COORDENAR PARA PINTAR

O desenvolvimento da coordenação olho - mão é outra grande lição que as crianças retiram das suas sessões de colorir. Desde segurar firmemente o lápis de cera, a reconhecer as cores que devem ser utilizadas, até ao ato de afiar os lápis, a verdade é que colorir desenhos implica uma enorme coordenação entre os olhos e as mãos. Quanto mais praticarem, mais desenvolverão esta aptidão tão básica para a vida.

      APERFEIÇOAMENTO DA CAPACIDADE MOTORA

Colorir é divertido, não é? Mais também é muito mais do que isso - enquanto as crianças se entretêm a colorir,interagindo com marcadores, tintas, lápis de cor de cera e papel, estão trabalhando e fortalecendo os músculos das mãos. Colorir exige uma coordenação básica e um esforço conjunto entre os músculos dos braços e os das mãos que, uma vez desenvolvidos, permitirão às crianças executar atividades mais exigentes, mas com dificuldades mínima.

       CONCENTRAÇÃO MÁXIMA

As crianças que se dedicam 100% à coloração dos seus desenhos fazem-no na perfeição. Não há espaço que fique por preencher, nem linha que tenha sido cruzada! E isto porquê?  O simples ato de colorir tem a capacidade de prender a atenção de uma criança, estimulando a sua concentração máxima, mesmo face a um ambiente barulhento como uma sala de aula ou a cozinha antes da hora de jantar. Com o passar do tempo, os seus níveis de concentração vão continuar melhorando.

       ESTABELECER LIMITES

Uma criança mais nova não saberá respeitar as linhas do seu desenho tão bem como uma criança mais velha que já faz um esforço enorme para colorir dentro das mesmas....mas depressa chega lá! E ainda bem!
Reconhecer e respeitar estes limites ( mesmo que sejam os de um desenho ) é uma excelente experiência e método de aprendizagem para aquilo que se segue: escrever letras e números nas linhas de um caderno!
 

       MISSÃO CUMPRIDA!     

A satisfação e o sorriso no rosto de qualquer criança que consegue colorir um desenho inteiro dentro das linhas é uma vitória muito importante para os artistas  de palmo e meio! O sentido de cumprimento, de que tudo é possível, é fundamental para as crianças porque dá-lhes motivos para se sentirem orgulhosos, capazes, confiantes e, claro, para ser congratulado pela sua comunidade mais imediata. Para além disso, é um sentimento de "missão cumprida" que dificilmente esquecerão.